Quatro Rodas

Testamos a Kawasaki Z900 que acaba de ser lançada no Brasil

26/09/2017 04:09

A Kawasaki lançou no país nesta terça-feira (26) a Z900, em substituição à Z800. Em versão única com ABS por R$ 41.990 (cores verde, preta e preta com chassi verde), o novo modelo tem motor de 4 cilindros maior de 948cc, que rende até 125 cv a 9.500 rpm e 10 kgf.m a 7.700 rpm. O novo chassi de treliça de aço ajudou a Z900 a emagrecer 20 kg em comparação ao modelo anterior. As suspensões permanecem com regulagens no retorno e pré-carga (ambas), e além do ABS não há nenhuma assistência eletrônica à pilotagem, como controle de tração ou seleção de modos/mapas de entrega de potência.

Ao montarmos na 900 notamos que o banco tem espuma rígida, é bem estreito na garupa, e que o painel digital é uma variação do já usado na Z650 (tem conta-giros com ponteiro digital e shift-light). A moto está mais estreita que a Z800 de forma geral, ainda assim é mais larga quando comparada a tricilíndricas como a Yamaha MT-09, pesa 20 kg a mais e tem centro de gravidade mais alto. Por outro lado, o comportamento das suspensões é mais estável do que na MT, que tende a oscilar em curvas rápidas.

Mais do que buscar potência máxima com o motor de 4 cilindros a nova Kawasaki passou a entregar respostas mais progressivas e rápidas em rotações baixas e médias. Ficou muito mais agradável de pilotar, não é preciso reduzir a marcha ou manter as rotações elevadas com frequência para obter boas respostas. A potência máxima disponível a 9.500 rpm e o torque a 7.700 rpm correspondem a rotações baixas para o padrão de motores de 4 cilindros (na Z800 a faixa ideal ficava entre 10.200 rpm e 8.000 rpm, com potência de até 113 cv e torque de 8,5 kgf.m). Na aceleração de 0 a 100 km/h melhorou 0s2, passando de 3s88 para 3s67, e as retomadas de velocidade em 6ª marcha ficaram até 10% mais rápidas.

A progressividade do motor e a agilidade da moto evoluíram bastante quando comparadas à antecessora. Cilindrada maior e ganho de potência serão os principais apelos de venda da Z900 numa categoria em que também concorrem modelos de performance semelhante com motores de 750cc a 850cc, como Yamaha MT-09 (R$ 38.990) e Triumph Street Triple (R$ 38.990 a R$ 48.990) – a 4 cilindros Suzuki GSX-S 750, sucessora da GSR 750 que saiu de linha, ainda não foi lançada no país. O ponto fraco da Kawasaki é a ausência de, pelo menos, controle de tração, disponível na nova Street Triple e na nova geração da Yamaha MT-09, que deve ser lançada no Brasil para 2018.  

APLICATIVO



INSTAGRAM