Quatro Rodas

Sistema de freios combinados pode ser mais eficiente que ABS em motos menores, diz ONG

Testes mostraram menor eficiência do sistema antiblocante nas frenagens em superfícies irregulares

01/11/2013 11:53

Por Francis Vieira

O sistema de freios combinados pode ser uma solução mais barata e eficiente que o ABS na redução de acidentes envolvendo motos de baixa cilindrada, indica estudo da ONG Observatório Nacional de Segurança Viária. A análise surge num momento de discussão de projetos de lei, já apresentados na Câmara e no Senado, que abordam a obrigatoriedade dos freios ABS para motos de baixa cilindrada como medida para reduzir o número de acidentes.

“Identificamos que o ABS mantém o controle da motocicleta durante as frenagens por evitar o travamento da roda, mas aumenta a distância percorrida em pisos irregulares e não corrige a distribuição errada dos freios”, explica José Aurélio Ramalho, presidente do Observatório. Os testes colocaram lado a lado motos com e sem freios ABS, e scooters com e sem freios combinados, conduzidos por motociclistas experientes e pilotos profissionais. 

No primeiro confronto, em piso de asfalto regular e de boa qualidade, a moto com ABS foi em média 6% mais eficaz para reduzir a distância de frenagem do que a versão com freios comuns, mas se mostrou 15% menos eficiente em pisos irregulares, como asfalto ondulado, com buracos e estradas de terra. Já na comparação dos scooters com e sem freios de acionamento combinado, os pilotos simularam uma frenagem acionando apenas o freio traseiro, erro comum que é corrigido pelo sistema combinado. Os resultados apontaram uma frenagem 33,5% mais eficiente com o sistema combinado em relação aos freios convencionais, o que, de acordo com a ONG, deveria fazer com que a adoção de freios combinados fosse prioridade frente ao sistema ABS.  

O Observatório também se mostrou contrário a outros aspectos abordados em projetos de lei recentes, como a inserção do número da placa da moto no capacete, uso obrigatório do airbag, restrição de circulação de motos até 250cc em rodovias e limitação de velocidade máxima.

Recomendações do Observatório:

Incluir sistema de freios combinado nas motos de baixa cilindrada;

Implementar a Lei de Diretrizes e Bases da Formação de Motociclistas;

Desenvolver dispositivo de alerta de falhas no sistema de iluminação da moto e acionamento automático dos faróis;

Adotar o marcador de combustível para todos os modelos de motocicletas e acesso seguro ao registro de combustível;

Inserir termo de responsabilidade na entrega técnica da motocicleta ao consumidor;

Implementar a vistoria.

O que o Observatório não recomenda:

Obrigatoriedade do sistema ABS para motos;

Inserção do número da placa no capacete;

Obrigatoriedade de uso do colete de airbag;

Limitador de velocidade máxima;

Restrição de circulação de motos de até 250cc em rodovias.

APLICATIVO



INSTAGRAM