Advertisement

Italiano Antonio Cairoli fatura a etapa brasileira do Mundial de Motocross

Atual tetracampeão venceu a bateria da MX1 e a final; Beto Carrero World foi anunciado como sede do Motocross das Nações em 2017

19/05/2013 20:03

Por: Marcelo Freire

Fotos: Vipcomm


O italiano Antonio Cairoli (KTM) reinou na etapa brasileira do Mundial de Motocross, disputada neste final de semana no Beto Carrero World em Penha (SC). O piloto venceu a bateria da MX1 e triunfou também na superfinal, que reuniu os 20 melhores da MX1 e da MX2 e encerrou as disputas do final de semana.


Cairoli, atual tetracampeão da categoria, começou dominando: venceu a primeira bateria após liderar todas as voltas e não dar chances aos rivais Max Nagl (Honda) e Clement Desalle (Suzuki), que completaram o pódio. Na superfinal, quem foi para a frente foi Kevin Strijbos (Suzuki), que liderou até a antepenúltima volta, quando acabou superado por Cairioli, terminando na 2ª posição à frente de Desalle. O vencedor da MX2 foi o espanhol Jose Butron (KTM), que terminou em 10º.


O holandês Jeffrey Herlings (KTM), atual campeão da MX2, ficou em 13º na superfinal, mas havia conquistado a vitória na bateria exclusiva da MX2, depois de ficar para trás na largada e ir subindo de posições até a 12ª volta, quando assumiu a liderança. Glenn Coldenhoff (KTM) e Jake Nicholls (KTM) ficaram na 2ª e 3ª posições nessa prova.


Cairoli e Herlings lideram os campeonatos da MX1 e MX2; o italiano tem 330 pontos contra 278 do francês Gautier Paulin (Kawasaki) e o holandês possui 347 pontos, já com 90 de vantagem sobre outro francês, Jordi Tixier (KTM). A etapa brasileira foi a sétima das 17 corridas do ano.


Entre os brasileiros, o melhor desempenho foi de Jorge Balbi (Kawasaki), 15º colocado na MX1 e com o mesmo número de voltas de Cairoli. Mas Thales Vilardi (Honda) também se destacou: ficou em 18º na MX2 e foi o melhor brasileiro na superfinal com a 31ª colocação, 16º entre os competidores da MX2.


O evento também contou com uma homenagem a vários pilotos e ex-pilotos brasileiros que fizeram história no motocross nacional. Jorge Negretti, Nuno Narezzi, Rafael Ramos, Eduardo Saçaki, Elton Becker, Milton “Chumbinho” Becker, Cristiano Lopes, Wellington Valadares, Álvaro Cândido Filho “Paraguaio”, Roberto Boettcher, Cássio Garcia e Roque Colmann deram duas voltas na pista para relembrar as antigas glórias no esporte.


Motocross das Nações no Brasil


No fim de semana da corrida, a pista do Beto Carrero World foi anunciada como sede do Motocross das Nações em 2017. É a primeira vez que a tradicional competição de países, que fecha o calendário anual do motocross, será disputada no Brasil desde 1999, quando Indaiatuba foi palco das corridas. A Youthstream, organizadora do Mundial, e a Romagnolli Produções e Eventos, promotora da etapa brasileira, também anunciaram a criação de uma escola de pilotagem para os competidores do país.


Giuseppe Luongo, presidente da Youthstream, fez elogios à organização da etapa brasileira no Beto Carrero World - que foi considerada a melhor da temporada de 2012 nesse quesito - e afirmou que o evento é o parâmetro ideal para as outras etapas do Mundial. “É uma grande corrida com instalações fantásticas e bastante público, temos certeza que o Motocross das Nações de 2017 será um sucesso. O acordo para essa competição é fruto de longo tempo de cooperação e trabalho com a Romagnolli”, declarou o dirigente. “Trazer o Motocross das Nações é realmente um privilégio. Quero agradecer à Youthstream por confiar na gente”, afirmou o organizador Carlinhos Romagnolli.


Com o Beto Carrero World reservado para a disputa do Motocross das Nações, outra pista brasileira, ainda não definida, será o palco da etapa nacional de 2017.

APLICATIVO



INSTAGRAM