Quatro Rodas

Fim dos motores 2 tempos é inevitável, diz presidente da Yamaha

Em entrevista exclusiva para Duas Rodas, Hiroyuki Yanagi afirma que as prioridades mudaram e aponta para o futuro com modelos de 3 cilindros

10/01/2014 18:30

Hiroyuki Yanagi, presidente mundial Yamaha, é taxativo ao decretar o fim dos motores 2 tempos. “As normas de emissões e o consumo são mais importantes agora. No plano global os motores 2 tempos serão substituídos pelos 4 tempos, que vem sendo aperfeiçoados”, disse o executivo em entrevista exclusiva a Duas Rodas.

Atualmente, a Yamaha ainda tem produtos em seu line-up com esses motores, a exemplo de modelos off-road de competição e scooters de 50cc. Entretanto, os tempos áureos dos propulsores movidos à mistura de gasolina e óleo foram na década de 1970, época em que a marca investia no uso desses motores e concorrentes como Honda e Kawasaki já partiam para o 4 tempos.

Para reforçar o aprimoramento dos modelos de 4 cilindros, o executivo mencionou a tecnologia crossplane, trazida da MotoGP e introduzida na R1: “essa motocicleta deve continuar com 4 cilindros, mas que pode ser refinado”, afirmou o presidente da Yamaha, sugerindo que a versão prevista para 2015 da esportiva trará inovações.

Yanagi lembrou também o lançamento no ano passado de mais um produto crossplane, o motor de 3 cilindros, que equipa o modelo MT-09, apresentado na Europa. “Temos muitas ideias para nossos motores tricilíndricos”, acrescentou.

A íntegra da entrevista pode ser vista na edição de janeiro de Duas Rodas, que está nas bancas, na Apple Store e na Google Play.

Nas bancas: Guia naked elege oito modelos

Testando Limites: BMW F 800 GS Adventure vs. Triumph Tiger 800

Os encontros de motociclistas pelo Brasil em janeiro

Yamaha divulga imagens da MT-09, com motor 850cc de 3 cilindros

APLICATIVO



INSTAGRAM