Duas Rodas
  • Revista Digital
  • Facebook
  • Instagram
  • Youtube
O sistema de freio ABS (Antilock Braking System) foi desenvolvido para evitar que o freio trave a roda em fortes frenagens ou pisos de baixa aderência. Através de sensores que detectam o movimento das rodas (entre outros parâmetros), uma central eletrônica comanda uma bomba hidráulica que alivia momentaneamente a pressão sobre o disco quando há tendência de travamento com a moto em movimento. O sistema ABS não reduz a distância de frenagem, apenas ajuda a manter o controle da motocicleta.
Podem ser de três tipos (pré-carga da mola, compressão e retorno). O de pré-carga comprime a mola e deve ser ajustado de acordo com o peso levado pela moto (presença de um ou mais ocupantes e bagagem). Os ajustes de compressão e retorno controlam a velocidade com que o amortecedor é comprimido ao receber um impacto e a velocidade com que retorna à posição inicial, e influenciam diretamente a estabilidade da motocicleta.
É o ângulo de inclinação da suspensão dianteira em relação ao solo. Um ângulo de cáster menor, como nas motos esportivas, prioriza a agilidade em trocas de direção, enquanto o ângulo de cáster maior, como nas motos chopper, privilegia a estabilidade em retas.
Indica o volume da câmara de combustão do motor, ou seja, quanta mistura ar/combustível é capaz de receber.
É um sistema mecânico movimentado pelo virabrequim para comandar a abertura e o fechamento das válvulas de admissão e escapamento do motor (que permitem a entrada de combustível e saída de gases resultantes da combustão). Os sistemas mais comuns são o comando no bloco acionado por varetas e o comando no cabeçote que utiliza uma corrente para acionamento por eixo (árvore de cames).
É uma técnica de pilotagem que aumenta a velocidade de inclinação ou troca de direção da motocicleta acima de 40 km/h. Consiste em empurrar levemente o guidão no lado para o qual se quer direcionar a moto.
Presente apenas em motocicletas com alimentação por injeção eletrônica, o controle de potência por seleção de modos ou mapas pré-programados atua sobre os sistemas de alimentação e ignição para mudar o comportamento do motor. Basicamente, limita a potência e torna as respostas mais suaves para aumentar a segurança em situações como pisos de baixa aderência.
É um sistema eletrônico que administra a potência do motor para evitar a derrapagem da roda traseira (perda de tração) em fortes acelerações. A principal função do controle de tração é evitar quedas por excesso de aceleração, mas também contribui para o melhor aproveitamento do desempenho do motor.
Evita o travamento da roda traseira em reduções de marcha bruscas. Quando a redução é forte a ponto de elevar as rotações do motor em demasia, faz as vezes da dosagem de embreagem pelo piloto.
É a distância entre os eixos das rodas dianteira e traseira da motocicleta. Na prática, quanto menor esta distância maior será capacidade de realizar curvas e manobras com agilidade. Em motos com entre-eixos longo a estabilidade nas retas é priorizada em detrimento à performance nas curvas.
É o peso da motocicleta sem qualquer líquido necessário ao funcionamento, como óleo do motor, combustível, líquido de arrefecimento e fluido de freio.
É o peso da motocicleta pronta para rodar, incluindo os fluidos, lubrificantes e combustível necessários ao funcionamento.
É a velocidade de transformação de uma energia em outra. No caso das motos, é a energia química contida no combustível transformada em energia mecânica através da combustão. No Brasil, usamos a unidade de potência denominada cavalo-vapor (cv), a qual corresponde a 735,5W ou 0,9863 hp.
É o sistema de desmultiplicação do movimento do virabrequim, composto por engrenagens de diâmetros variados, que correspondem às marchas.
É o sistema de transmissão final do movimento para a roda. Pode ser composto pelo conjunto pinhão-corrente-coroa, por uma correia dentada com duas polias no lugar do pinhão e da coroa ou pelo eixo cardã.
Representa quanto o volume de ar/combustível admitido na câmara de combustão é comprimido até que o pistão suba completamente (ponto morto superior). com o pistão no ponto morto inferior e o volume da câmara com o pistão no ponto morto superior. Quando se diz que um motor possui taxa de compressão de 12:1 significa que a câmara de combustão completamente distendida é 12 vezes maior do que completamente comprimida. Em teoria, o aumento da taxa de compressão contribui para o aumento da potência por elevar a velocidade de combustão; no entanto, há limitações como a pré-ignição do combustível. Em motores de alto desempenho, com taxa de compressão elevada, recomenda-se o uso de gasolina de alta octanagem para evitar a pré-detonação.
É a força de alavanca do motor. É a força aplicada a um objeto para girá-lo. No caso das motos, usamos a unidade quilograma força por metro (kgf.m), que é a força exercida por 1 quilo para girar uma alavanca com 1 metro de raio.
É a distância entre a continuação da linha de inclinação da suspensão dianteira e a linha do eixo da roda, projetadas horizontalmente no chão. Quanto maior a inclinação da suspensão, maior a distância.
Ou Tire Wear Index (índice de desgaste do pneu) é um pequeno ressalto situado dentro dos sulcos do pneu. Quando a banda de rodagem gasta se iguala à altura do TWI, significa que o pneu atingiu o ponto de desgaste máximo antes que a capacidade de escoamento de água seja comprometida. Portanto, deve ser substituído.


Classificados

Anunciar